Page Authority – Tudo o que precisa de saber

Page Authority – Tudo o que precisa de saber



Outrora, uma das métricas a que os webmasters mais prestavam atenção era o PageRank, uma forma do Google determinar a importância e classificação de uma determinada página nos resultados de busca. Contudo, após o que aconteceu ao PageRank, em que a informação de cada página passou a estar disponível apenas internamente, no Google, sem que os webmasters tivessem acesso à mesma, estes tiveram de correr a outras métricas. Falamos, naturalmente, não só do domain authority, mas também do page authority.

Após vermos em que assenta o domain authority, neste artigo, vamos ver o que é afinal o page authority, habitualmente designado também de PA. Contudo, deve-se realçar que tanto uma métrica como outra são importantes nos seus esforços de SEO.

O que é o page authority?

Para quem não está familiarizado com o page authority ou PA, trata-se de uma métrica que, tal como o DA, foi criada pela Moz. E visa prever o posicionamento de uma determinada página nas SERP, isto é, search engine results pages.

De resto, a métrica permite que os webmasters tenham acesso a uma classificação, que vai de 1 a 100, de cada página, sendo que quanto melhor for a classificação de uma página melhor será a probabilidade de a mesma ter um bom posicionamento nos resultados de busca. Tal como acontece com o PR ou o DA, o PA baseia-se em vários fatores, incluindo um que que é importante para todas as métricas, isto é, o número e relevância dos links externos.

De forma a haver uma correlação entre as suas métricas e o que realmente acontece no posicionamento das páginas nos resultados de busca do Google, a Moz, tal como faz para o domain authority, recorre a um sistema de aprendizagem próprio. Este sistema visa determinar qual é o algoritmo que melhor corresponde ao posicionamento das páginas nas SERP e, usando cálculos, atribuir uma classificação a cada página.

Page authority vs. Domain authority

Na verdade, é bastante fácil fazer uma distinção entre PA e DA. Isto porque, enquanto o page authority visa medir a capacidade de posicionamento de uma página em específico, o domain authority, como o próprio nome sugere, tem como objetivo medir não uma página individual, mas, sim, a capacidade de posicionamento de domínios ou mesmo subdomínios. Têm, contudo, um aspeto em comum, pois ambas as métricas são calculadas pela Moz, usando o mesmo método.

Como medir o PA do seu site ou blog

Quer o PA, quer o DA, são métricas que podem ser visualizadas através de várias plataformas online, especializadas em SEO e Marketing. Em todo o caso, para ver estas métricas associadas a uma determinada página individual ou a um domínio (ou subdomínio) pode sempre recorrer à própria Moz, neste caso a uma das suas ferramentas, isto é, o Open Site Explorer. Mas, se preferir, pode também recorrer a ferramentas externas, pois são várias as que permitem ver tanto uma métrica como outra.

Como melhorar o seu page authority

Segundo a Moz, o PA é difícil de influenciar por resultar de um agregado de métricas, contudo, isso não significa que você não possa fazer nada para melhorar a autoridade das suas páginas individuais. Na verdade, é a própria Moz que admite que, apesar de ser difícil de influenciar a classificação, existe tendência a haver flutuações, por haver vários fatores a considerar. Nesse sentido, você apenas precisar de se concentrar em fatores e em estratégias que realmente possam resultar numa mais-valia em termos de page authority. Essas medidas, na prática, são similares às adotadas para melhorar o seu domain authority e assentam em:

Escrever conteúdos linkáveis

Além de ser muito importante escrever conteúdos com regularidade, uma vez que os motores de busca, como o Google, tendem a dar ênfase aos blogs e sites que são devidamente atualizados, deverá também escrever conteúdos linkáveis. O que é que isso significa? Isso significa que, de forma a potenciar as probabilidades de outros projetos criarem links a apontar para o seu e, em particular, para as suas páginas, você deverá primeiro criar as condições necessárias para esse efeito. Isto passa por escrever conteúdos de grande qualidade, originais, de preferência, com informação que não esteja disponível noutros locais. Essa qualidade e originalidade, aliada a outros aspetos, como a correção ortográfica e gramatical, são essenciais para criar conteúdo linkável. Afinal, nenhum webmaster quer criar um link para uma página que não tem qualquer qualidade.

Criar links internos para páginas relevantes

Uma das melhores formas de melhorar a autoridade das páginas, embora muitas vezes descurada, é criando links internos nas suas páginas. No âmbito dessa estratégia, o objetivo passa por criar links internos nas suas páginas ou posts que liguem a outros conteúdos relevantes para os seus leitores. Embora não deva exagerar nem, por outro lado, criar os links sempre com o mesmo texto âncora (deve variar sempre), ao inserir links internos para páginas relevantes está a passar autoridade às mesmas e, em simultâneo, a fazer com que os seus leitores vejam mais páginas enquanto estiverem a navegar no seu site e, claro, a gastar mais tempo no tempo. Quer um aspeto, quer outro, são também essenciais para baixar a sua taxa de rejeição, um fator muito importante para o Google e que pode influenciar a posição das suas páginas nos resultados de busca.

Melhorar o seu perfil de links externos

Os links são importantes para todas as métricas que referimos neste artigo, e o PA, em particular não é exceção. Contudo, para conseguir que uma determinada página tem uma melhor classificação e, ao mesmo tempo, um potencial melhor posicionamento, é preciso melhorar também o seu perfil de links. Isto implica conseguir links externos a apontarem para as suas páginas, mas que sejam, de preferência, de sites relevantes, isto é, de um nicho próximo do seu, bem como de sites eles próprios com boa autoridade. Para ter um perfil de links adequado, é importante ter links dofollow, acima de tudo, mas também não deve descurar os links nofollow, numa perspetiva de diversificação.

Embora não tenha acesso ao PR de uma determinada página web, isso não significa que deva esquecer totalmente o PageRank, uma vez que continua a estar em funcionamento, a nível interno, no Google. Por isso, deverá estar atento aos fatores que contribuem para aumentar o PR, alguns dos quais são, inclusive, válidos para melhorar quer o seu DA, quer o seu PA. Existe uma grande afinidade nestas métricas, apesar existir, como é natural, algumas diferenças, contudo, todas partilham um denominador comum. O de que quanto maior for a sua classificação melhor será também o seu posicionamento, quer da sua homepage, quer das suas páginas individuais.


Partilhe esta publicação

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.