O que é o Marketing Pessoal e porque é importante

O que é o Marketing Pessoal e porque é importante



Num mercado laboral onde reina a competitividade, os profissionais precisam de formas adicionais de mostrarem aos seus potenciais empregadores quais são os seus valores, habilidades e experiências, que vão além de um simples currículo ou carta de apresentação. Na verdade, para consegui-lo, os profissionais devem recorrer ao marketing pessoal, utilizando ferramentas disponíveis na Internet e, em simultâneo, técnicas de marketing, para mostrar e enfatizar os seus pontos fortes, de uma forma que decerto impressionará qualquer responsável pelos recursos humanos de uma empresa.

Este tipo de marketing é, por isso, deveras importante, contudo, se não está devidamente familiarizado com o mesmo, neste artigo, procuraremos explicar-lhe tudo o que precisa de saber sobre o marketing pessoal, desde o que é, quem deve utilizá-lo, que técnicas tem à sua disposição e, por último, como fazer e implementar o seu plano.

Então, o que é o marketing pessoal e porque é importante?

Muitas vezes referido de personal branding, o marketing pessoal é uma ferramenta que os profissionais utilizam para melhorar tanto a sua imagem como a sua reputação, com o objetivo de progredirem nas suas carreiras.

Quando feito com sucesso, fomenta a empregabilidade desses profissionais, na medida em que os ajuda a demarcarem-se de inúmeros candidatos em campanhas de recrutamento, que podem estar a competir com eles pela mesma vaga de emprego.

Assim, esta forma de marketing é importante, porque, acima de tudo, permite diferenciar o profissional que a usa dos restantes candidatos e, em simultâneo, ajuda-o também a usufruir de um veículo de promoção pessoal que propicia os contactos com empregadores, com todas as vantagens que daí podem advir.

Quem deve utilizar o marketing pessoal?

Como já podemos constatar, o marketing pessoal é uma ferramenta vantajosa no domínio do trabalho e emprego. Nesse sentido, podemos também identificar dois grupos de pessoas que podem tirar efetivamente partido do mesmo, nomeadamente:

Trabalhadores por conta de outrem

As pessoas que se encontram a procurar emprego, para trabalhar por conta de outrem, mas também os que já se encontram a trabalhar e que estão à procura de uma eventual promoção ou mesmo de uma oportunidade melhor noutra empresa, podem usar esse tipo de marketing. Naturalmente, a forma como é depois empregue depende do objetivo dos profissionais.

Por um lado, se o objetivo passar por arranjar emprego, é necessário identificar as vagas que estão disponíveis passíveis de se enquadrarem nos seus objetivos de carreira e, posteriormente, publicitar tanto quanto possível as suas habilitações e experiências aos recrutadores. Por outro lado, se o objetivo passa por uma eventual promoção dentro da empresa, a ação de marketing a empregar deverá ser feita dentro da própria empresa. Por último, quem procura uma oportunidade noutras empresas tem de alargar ainda mais os seus esforços, embora possam já contar com alguma experiência profissional, que poderá ser importante.

Trabalhadores por conta própria

Os trabalhadores por conta própria, também chamados de freelancers, são as outras pessoas que podem ver vantagens nessa forma de marketing mais pessoal. Na verdade, pode ser determinante para os mesmos arranjarem trabalho. Isto porque estes profissionais não têm, geralmente, vínculo contratual com qualquer empresa, o que faz com que tenham de adotar técnicas de marketing quiçá mais agressivas, sob pena de não terem trabalho.

Uma vez que são trabalhadores independentes, devem empregar estas técnicas sempre que entrarem em contacto com potenciais empresas e pessoas que têm trabalhos a desenvolver. Ao contrário de um trabalhador por conta de outrem, que dispõe de outra segurança no local de trabalho, um freelancer precisa de estar permanentemente em contacto com potenciais empregadores, de forma a terem uma agenda preenchida.

Assim, nos seus esforços de networking com outros freelancers, clientes (atuais ou passados) e outros profissionais, essas técnicas de marketing podem ser utilizadas, para que o freelancer possa, de uma forma continuada, publicitar-se a si mesmo e, em simultâneo, manter as outras pessoas atualizadas sobre a sua “marca pessoal”.

Técnicas de marketing pessoal a ter em consideração

Ao contrário do que possa pensar, existem técnicas de marketing pessoal que são bastante fáceis de implementar por qualquer pessoa, mesmo que nunca tenha adotado essas técnicas no passado. Algumas técnicas a que deve recorrer são:

Abrir contas sociais – a abertura de contas em redes sociais, como o Facebook e Google+, é importante. Mas a principal é, sem dúvida, o LinkedIn, para os empregadores acederem ao seu currículo e verem amostras do seu trabalho.

Empregar as técnicas continuadamente – se está dependente deste tipo de marketing para sobreviver, então, terá de empregar as suas técnicas no quotidiano.

Manter-se em contacto – o networking é cada vez mais importante no mundo laboral. Por isso, certifique-se que se mantém em contacto com pessoas ligadas à sua indústria, quer com clientes, quer com outros profissionais.

Publicar um currículo online – para fomentar os contactos com empregadores, nada como colocar o seu currículo online. Tire partido do LinkedIn e de portais de emprego para esse efeito.

Realçar os seus pontos fortes – independentemente da plataforma ou site em que incluir o seu currículo, portfólio ou outros dados, é importante realçar sempre os seus pontos fortes. Isto porque é importante que as pessoas compreendam porque é melhor apostarem em si, em detrimento de outros candidatos.

Recorrer a fóruns profissionais – existem fóruns especializados a que pode recorrer para conseguir trabalhos ou mesmo empregos. Por exemplo, no Mais Tráfego, web designers, programadores, especialistas em SEO, criadores de conteúdo, entre outros profissionais, podem encontrar várias ofertas de trabalho.

Ter uma foto de perfil – lembre-se que, se o seu objetivo for arranjar serviços ou mesmo emprego, é importante que tenha uma foto de perfil devidamente cuidada nas plataformas em que se registar.

Usar testemunhos – se você for um freelancer e tiver um site, a melhor forma de mostrar a qualidade do seu trabalho é usando testemunhos de clientes. Isto ajuda a promover a sua credibilidade e confiabilidade de futuros clientes no seu trabalho.

Como fazer e implementar um plano de marketing pessoal

Agora que vimos porque é que um plano de marketing pessoal é importante para a sua carreira e as técnicas a ter em consideração, independentemente de você ser um trabalhador por conta de outrem ou trabalhador independente, vamos ver como fazer e implementar esse mesmo plano.

Antes de mais, no desenvolvimento de um plano afim, os profissionais devem começar por identificar quais são os seus objetivos, em suma, o que pretendem alcançar com os seus esforços de marketing. Isto pode passar por identificar não só os tipos de trabalho que pretendem desenvolver, e onde consegui-los, mas também os seus pontos fortes profissionalmente. A partir daí, é possível começar a procurar por oportunidades de trabalho ou emprego.

Tenha em consideração que é importante saber como chegar aos seus potenciais empregadores. Pessoas que procuram candidatos para trabalhar em empresas podem recorrer ao LinkedIn, a outras redes sociais e, claro, a portais de emprego para fazerem contactos. Por sua vez, quem procura freelancers irá recorrer a fóruns profissionais ou a plataformas especializadas em freelancing.

Cabe aos trabalhadores, tanto por conta de outrem como independentes, tirarem partido de cada plataforma que usam, de forma a realçar os seus pontos fortes, especialmente quando preencherem os seus perfis pessoais e profissionais. Plataformas como o LinkedIn permitem que anexe o seu currículo e descreva a sua experiência profissional e pontos fortes, pelo que esta e plataformas afins podem ser cruciais para o seu plano de marketing pessoal. Por outro lado, especialmente para os freelancers, a criação de um site pessoal, com domínio personalizado, e alojamento profissional, pode servir para se apresentarem aos empregadores, aproveitando para mostrarem também o seu portfólio.

Lembre-se que a construção da sua marca pessoal é um processo trabalhoso e contínuo. Isto implica um esforço perpétuo para atualizar as suas contas nas redes sociais, blogs, sites, responder a correspondência eletrónica, enfim, tudo o que puder contribuir para uma boa imagem profissional e uma carreira profissional auspiciosa.

O seu plano de marketing pessoal deve focar sempre o emprego/trabalho. Por isso, o mesmo deve também ter uma forte ênfase nas suas tarefas diárias, contactos, projetos em desenvolvimento e novas oportunidades de trabalho, especialmente no caso dos trabalhadores independentes, uma vez que são eles próprios os responsáveis pela sua agenda de trabalho.

Depois, quando colocar em prática o seu plano, deve ser capaz de analisar o sucesso ou insucesso do mesmo. Isto porque, se o mesmo não estiver a corresponder às suas expectativas, deverá ser capaz de ajustar o mesmo para atingir os seus objetivos.


Partilhe esta publicação

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.